Opiniao

Catástrofes em espera

Galopando ferozmente no 21º ano do século XXI, os reveladores Quatro Cavaleiros do Apocalipse são os arautos de versões modernas das ameaças bíblicas de catástrofe: Epidemias pestilentas sucessivas de doenças infecciosas, Guerra na forma de aniquilação nuclear, Fome causada por mudanças climáticas e Morte devido à negligência humana no controlo da supertecnologia recém-criada.

por Roberto Knight Cavaleiro

Os três primeiros riscos são muito evidentes quando passamos em pontas dos pés de um estado de emergência para outro, mas o quarto, na forma frequentemente citada mas pouco compreendida, da Inteligência Artificial é talvez o maior desastre potencial dos quatro.

Durante a última década, vimos uma explosão surpreendente na aplicação da I.A. em actividades de gestão que vão desde a colecta de impostos até o controlo de colheitas e desde a inovação médica até o assassinato por drones  estilo 007. Diz-se que a eficiência de custos na economia  é enorme, embora deva ser acompanhada pela demissão de funcionários administrativos redundantes e menores.

Mas, nos próximos dez anos, a soma das informações comandadas pela I.A provavelmente enquadrar-se-á, trazendo consigo imensas mudanças sociais, das quais só podemos adivinhar a magnitude. Existem dois aspectos perturbadores. O primeiro é a perspectiva da I.A. evoluindo para uma inteligência de tomada de decisão superior àquela dos seus criadores e a segunda, a falta de qualquer órgão global que tenha o poder e autoridade para regular as actividades de empresas governamentais e corporativas.

E antes de descartar essas projecções como sendo fantasia de ficção científica, você deve estar ciente de que o comité conjunto britânico para a Estratégia de Segurança Nacional recomendou urgentemente que a sua actual presidência do G7 deveria dar prioridade à criação de um regulador internacional com os meios para fazer cumprir as restrições que irá proteger a população mundial desta potencial extorsão.

Corporações imensamente poderosas como o Google,a  Microsoft e o Facebook do Ocidente e Baibu, a Uniontech e a Wechat do Oriente devem ser responsabilizadas e impedidas de explorar com fins lucrativos tecnologias que têm o potencial de proteger - não aniquilar - a humanidade.

Esperemos que o Anjo de Morte não siga tão cedo na esteira dos Quatro Cavaleiros.