Cultura

Filmes e documentos online para ensinar cinema

O Plano Nacional de Cinema (PNC) disponibiliza plataforma com filmes e documentos pedagógicos, todos eles gratuitos.


O Plano Nacional de Cinema (PNC) já tem uma página oficial e uma plataforma para professores e alunos, de acesso gratuito, onde serão disponibilizados filmes e documentários pedagógicos sobre imagens em movimento. O anúncio foi feito ontem, na sessão de apresentação que decorreu na Cinemateca Portuguesa, em Lisboa.

Segundo Elsa Mendes, coordenadora nacional do PNC, estes novos recursos são «instrumentos fundamentais para ampliar a forma como as escolas recorrem ao Plano Nacional de Cinema». Na página oficial será centralizada a informação relativa ao plano, incluindo também a plataforma de acesso que será restrita às escolas inscritas.

A coordenadora afirma que esta disponibilização online só foi possível mediante a «contratualização entre os detentores de direitos dos filmes e os três institutos públicos» envolvidos: a Cinemateca Portuguesa – Museu do Cinema, o Instituto do Cinema e do Audiovisual e a Direção-Geral da Educação. Elsa Mendes revelou ainda que atualmente estão disponíveis para visionamento cerca de 50 filmes, desde curtas a longas-metragens, maioritariamente de cinema português, abrangendo vários períodos, géneros e temáticas da história do cinema. Contudo, há «alguma cinematografia internacional», que aborda temas como o diálogo, a tolerância e o desenvolvimento pessoas relativos à relação entre professor e aluno.

Os recursos foram desenvolvidos «por cerca de 30 autores convidados, entre eles especialistas dos filmes, professores e investigadores», revelou, pedindo a entrada de mais pessoas no projeto do PNC, sobretudo no que toca à formação de professores.

O PNC foi implementado em 2014 pelos ministérios da Cultura e da Educação, com o intuito de promover a literacia para o cinema junto dos mais novos e através das escolas. Atualmente, trabalha com 275 escolas e agrupamentos escolares tanto no continente, como nas regiões autónomas e ainda nos países de língua oficial portuguesa.