Sociedade

"Mantemos a esperança, por menor que seja, de que veremos Madeleine novamente"

Maddie McCann desapareceu há 14 anos. Também esta segunda-feira foi anunciado que o principal suspeito pelo rapto, Christian Brueckner, deverá ser formalmente acusado de violação de uma mulher irlandesa na Praia da Luz, em 2004.

Os pais de Madeleine McCann – que desapareceu a 3 de maio de 2007, na Praia da Luz, no Algarve – afirmaram, esta segunda-feira, que “o mês de maio é difícil”, mas que mantêm “a esperança” de ver a filha novamente, uma vez que a “investigação para encontrar Madeleine e o seu sequestrador continua”.

“Maio de 2021. O mês de maio é difícil – uma lembrança de todos os anos que já passaram, de anos juntos perdidos ou roubados”, começam por dizer Kate e Gerry McCann, no dia em que se assinalam 14 anos desde o desaparecimento da menina britânica.

O casal lembra ainda que “este ano é particularmente comovente” porque deviam estar a comemorar o 18.º aniversário de Madeleine e que “a pandemia de covid-19 tornou este ano ainda mais difícil por várias razões”, no entanto, “felizmente a investigação para encontrar Madeleine e o seu sequestrador continuou”.

“Mantemos a esperança, por menor que seja, de que veremos Madeleine novamente. Como já dissemos várias vezes, precisamos de saber o que aconteceu com a nossa querida filha, aconteça o que acontecer”.

Kate e Gerry agradeceram ainda à polícia “pelo seu esforço continuado” e a todas as pessoas que enviaram “palavras positivas e votos de boa sorte”. “Tudo ajuda e por isso estamos realmente gratos – obrigado”, lê-se.

Também esta segunda-feira foi anunciado, pelo jornal britânico The Guardian, que o principal suspeito pelo rapto de Maddie, Christian Brueckner, deverá ser formalmente acusado de violação de uma mulher irlandesa na Praia da Luz, em 2004, três antes do desaparecimento da menina. O mesmo homem já foi julgado em 2019 por ter violado uma mulher de 72 anos no Algarve.