Sociedade

SEF investiga 32 crimes sobre tráfico de pessoas no Alentejo

Desses 32, seis pertencem à comarca de Odemira.

O Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) revelou, esta segunda-feira, que tem vindo "a acompanhar de perto a permanência e a atividade de estrangeiros no Alentejo, em especial os que trabalham nas explorações agrícolas intensivas" e que decorrem 32 inquéritos na região pelos crimes de tráfico de pessoas, auxílio à imigração ilegal, angariação de mão-de-obra ilegal. Desses 32, seis pertencem à comarca de Odemira.

Segundo uma nota do SEF, enviada à agência Lusa, só em março foram instaurados 15 inquéritos contra 17 entidades patronais e seus titulares, por indícios dos crimes de auxílio à imigração ilegal e falsificação de documentos, factos estes relacionados com relações laborais fraudulentas que visam a regularização documental.

Recorde-se que Odemira tem sido palco de várias denúncias de falta de condições de habitabilidade de trabalhadores agrícolas. Ainda esta segunda-feira, o presidente da Câmara estimou que existem “no mínimo seis mil” trabalhadores nesta situação.

Desde 2018, foram detidos 11 suspeitos, constituídos arguidos 37 pessoas e 14 empresas, e sinalizadas 134 vítimas de tráfico de pessoas para exploração laboral, na região do Alentejo.