Economia

Ministério das Finanças contra prémios atribuídos a administradores do Novo Banco

Fundo de Resolução deverá descontar esse valor na chamada de capital.


O Governo já reagiu à informação de que o Novo Banco vai atribuir um prémio de 1,9 milhões de euros, referente a 2020, aos administradores.

O Ministério das Finanças considera que "não é adequada a prática de atribuição de prémios de gestão do Novo Banco".

Na mesma nota, o Ministério, liderado por João Leão, disse acreditar que “o Fundo de Resolução atuará em conformidade com as decisões tomadas no ano anterior no contexto da verificação dos pressupostos inerentes ao cumprimento dos compromissos contratuais existentes".

Sublinhe-se que a nota das Finanças foi divulgada na sequência da publicação do Relatório e Contas do Novo Banco, referente a 2020, no site da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), e no qual constava o valor dos bónus, no total de 1,86 milhões de euros, a atribuir aos membros do conselho de administração daquela insituição bancária.

O pagamento que só deverá ser feito em 2022, após concluída a reestruturação do banco, diz, no entanto, respeito ao ano passado, quando se registou um prejuízo de 1.329,3 milhões de euros, o que constitui um agravamento face aos 1.058,8 milhões registados em 2019. Já quanto ao valor a pedir ao Fundo de Resolução, o Novo Banco indicou que serão 598,3 milhões de euros.