Sociedade

Um concelho recua e quatro avançam no desconfinamento

O Governo esteve, esta quinta-feira, reunido em Conselho de Ministros para discutir o desenvolvimento da pandemia no país e a última fase de desconfinamento, que teve início a 1 de maio.


O Governo esteve, esta quinta-feira, reunido em Conselho de Ministros para discutir o desenvolvimento da pandemia no país e a última fase de desconfinamento, que teve início a 1 de maio.

Em conferência de imprensa, a ministra de Estado e da Presidência, Mariana Vieira da Silva, anunciou que o país tem uma incidência de 59 novos casos de covid-19 por 100 mil habitantes nos últimos 14 dias. “É um sinal de que a pandemia está controlada”, afirmou.

A ministra anunciou ainda que Cabeceiras de Basto, com uma incidência superior a 240 casos por 100 mil habitantes, será o único concelho a recuar no plano de desconfinamento. Carregal do Sal, Paredes e Resende mantêm-se na fase em que estavam e as cercas sanitárias nas duas freguesias de Odemira – São Teotónio e Longueira/Almograve – também. Já Miranda do Douro, Aljezur, Portimão e Valongo têm agora autorização para avançar.

Esta semana houve "nove concelhos a saírem do nível de alerta e seis a entrarem, o que simboliza a situação de melhoria geral que temos no país". São agora 23 concelhos em alerta.

As freguesias de Odemira continuam sob cerca sanitária porque as medidas têm de durar pelo menos 14 dias: o tempo de incubação da doença. Segundo a ministra, há uma "forte melhoria" mas a incidência ainda não está abaixo dos 120 casos por 100 mil habitantes, no entanto, será possível entrar nas duas freguesias para trabalhar.  A decisão será novamente avaliada na próxima quinta-feira.

Sobre a falta de condições de habitabilidade dos imigrantes a trabalhar na zona, Mariana Vieira da Silva afirma que "não podemos permitir que continuem estas condições". “Temos de ir procurando soluções alternativas, primeiro temporárias e depois definitivas", sublinhou.

Em relação às praias, o Governo irá "repetir em larga medida" as regras do ano passado: uso de máscara nos cafés e restraurantes, mas não no areal. Haverá também mudanças no que diz respeito à atividade desportiva no areal e à utilização de equipamentos de lazer.

Questionada sobre a possibilidade de festejos na rua devido ao apuramento do campeão nacional de futebol, Mariana Vieira da Silva remeteu para a “interação entre o Ministério da Administração Interna e organizações diversas para a organiação dos vários eventos, desde logo 13 de maio”. “As regras serão definidas em função dessa necessidade”, disse.