Internacional

Vice-presidente brasileiro diz que mortos em operação policial no Rio eram "todos bandidos"

Um polícia e 24 suspeitos morreram. 

O vice-presidente brasileiro comentou, esta sexta-feira, a operação da polícia levada a cabo na favela do Jacarezinho, na zona norte do Rio Janeiro, e que resultou em 25 vítimas mortais, incluindo um polícia. Para Hamilton Mourão os mortos eram “todos bandidos”.

“Tudo bandido. Entra um polícia numa operação normal e leva um tiro na cabeça em cima de uma laje. Lamentavelmente essas quadrilhas do narcotráfico são verdadeiras narcoguerrilhas, têm controlo sobre determinadas áreas”, disse o vice-presidente brasileiro, sem justificar as suas declarações.

“É um problema grave na cidade do Rio de Janeiro, que já levou as Forças Armadas a intervir várias vezes (...) que vamos ter que resolver um dia ou outro”, acrescentou.

De realçar que, até ao momento, não foi divulgada a identidade dos mortos ou os crimes de que seriam suspeitos.

Este é o maior número de mortes durante uma operação da polícia numa comunidade, segundo a plataforma Fogo Cruzado, que regista dados de violência armada desde julho de 2016.

Vários moradores alegam que houve excesso por parte da polícia. Entretanto, as autoridades do Rio de Janeiro já rejeitaram as acusações de supostos abusos e execuções extrajudiciais na operação.