Sociedade

Inspetores do SEF condenados a 9 e 7 anos de prisão no caso da morte de Ihor Homeniuk

“Conduta dos arguidos foi a causa direta na sua morte. Os arguidos mataram Ihor. Não se provou dolo", disse o presidente do coletivo de juízes.


Os três inspetores do SEF acusados do homicídio do cidadão ucraniano Ihor Homeniuk, em março de 2020, foram condenados, esta segunda-feira, por ofensa à integridade física grave qualificada, agravada pelo resultado (morte de Ihor).

Luís Silva e Duarte Laja foram condenados a nove anos de prisão e Bruno Sousa a sete anos.

Rui Coelho, presidente do coletivo de juizes, disse que ficaram provadas as agressões a Ihor Homeniuk, mas "não ficou demonstrada a intenção de matar, apenas que foi um processo longo e agonizante".

"Agiram com o propósito de bater, não se preocupando com as consequências mas não com objetivo de matar", disse o magistrado, citado pelo Correio da Manhã, acrescentando que a “conduta dos arguidos foi a causa direta na sua morte. Os arguidos mataram Ihor. Não se provou dolo".

Já a SIC Notícias avança que foram ainda extraídas certidões para a investigar os vigilantes e outros inspetores do SEF.