Sociedade

Combinar vacinas diferentes aumenta risco de efeitos secundários leves

Estudo refere que queixas mais frequentes são calafrios, dores de cabeça e dores musculares.


Receber doses de vacinas diferentes, AstraZeneca e Pfizer, contra a covid-19 aumenta a probabilidade de efeitos secundários leves e moderados em adultos, segundo um estudo realizado no Reino Unido.

O estudo, coordenado pela Universidade de Oxford, tinha o objetivo de analisar se a combinação de doses de vacinas diferentes poderia dar uma imunidade mais duradoura ou se haveria problemas de saúde associados à utilização de dois fármacos, em caso de falta de stock.

A análise foi levada a cabo com dados de 830 voluntários com mais de 50 anos e os primeiros resultados completos são esperados em junho, mas os dados preliminares já foram publicados na Lancet.

Calafrios, dores de cabeça e dores musculares foram as queixas mais evocadas nas pessoas que receberam a primeira e a segunda dose de diferentes fármacos. No entanto, estas reações duraram pouco e por isso não se levantaram problemas de segurança na combinação de fármacos.