Vida

Fátima Lopes fala abertamente sobre saída da TVI: "Houve um somatório de desconsiderações e desvalorizações"

Apresentadora falou, pela primeira vez, sobre as razões que a levaram a abandonar a TVI. 


Fátima Lopes falou abertamente sobre a sua saída da TVI. Em entrevista à revista Sábado, a apresentadora explicou, pela primeira vez, as razões que a lavaram a deixar a estação de Queluz ao fim de 11 anos.

“Nos dois últimos anos, não fui feliz na TVI. As pessoas têm de ser bem tratadas e comigo houve um somatório de desconsiderações e desvalorizações”, confessou a apresentadora, dois meses depois de deixar o canal.

“Se eu não tivesse autoestima, se calhar ficava, mas felizmente tenho consciência do meu valor como profissional e como pessoa", acrescentou, exemplificando depois com o programa ‘A Tarde É Sua’, comparando-o a uma “pastilha elástica”.

“[A duração da emissão] aumentava ou diminuía para tapar aqui ou ali e isso é um desrespeito por um formato que foi desenhado para servir determinado público (...) Isto são desconsiderações. Só que o rosto era o meu", lamentou.

Para Fátima Lopes “houve coisas que podiam ter sido feitas de outra maneira” e recordou o programa de entrevistas ‘Conta-me Como És’, que lhe foi entregue em 2018 e que agora tem o nome de ‘Conta-me’.

“O processo do ‘Conta-me Como És’ não foi bonito. O programa saiu do ar no início de 2020. Depois, já com a equipa da Cristina [Ferreira], foi-me dito que voltava a ir para o ar e eu fiquei muito feliz porque o projeto nasceu comigo e tinha a minha imagem. Só que afinal disseram-me que não ia ser só eu, ia ter outros colegas da informação e do entretenimento. E recusei-me a apresentar. Chega!”, disse.

A apresentadora garante que já fez um “luto” de todo este processo e que não sente “nenhum rancor”.

Na mesma entrevista, a apresentadora esclareceu ainda que, aquando da sua saída, não teve qualquer conversa com Cristina Ferreira, diretora de Entretenimento e Ficção da TVI.

"Nunca falei com a Cristina Ferreira", disse.

"Nunca falei com ela, nem ninguém sobre esse processo. O meu advogado é que me representava e eu não ia fazer telefonemas paralelos à Cristina”, justificou.

“A versão verdade é esta e estou a contá-la pela primeira vez. E é só isto: somatório de desconsiderações que me fizeram seguir o meu caminho. Não vou falar mal de A ou B, não vale a pena, posso anotar determinados comportamentos, mais nada”, concluiu.