Vida

"Fui injusto com pessoas que amo muito, fui agressivo com o mundo inteiro", conta Tony Carreira após a morte de Sara Carreira

"Não tenho problema em dizer que bebi mais do que devia, andei ali uns tempos... parecia um zombie", confessou o músico na primeira vez que falou ao público sobre a morte da filha mais nova, numa entrevista com Manuel Luís Goucha. 

DR  


Tony Carreira abriu pela primeira vez o seu coração depois da morte da filha mais nova, Sara Carreira, em dezembro de 2020, com 21 anos.

Numa entrevista conduzida por Manuel Luís Goucha, na TVI, o cantor confessou o quanto já sofreu e a amargura que ainda está a sentir com a partida de Sara.

"Quando a minha filha partiu foi... uma violência extrema. Morri por dentro, ainda estou a tentar encontra alguma vida cá dentro. Não tenho problema em dizer que bebi mais do que devia, andei ali uns tempos... parecia um zombie", contou Carreira.

"Depois veio alguma violência, fui injusto com pessoas que amo muito, fui agressivo com o mundo inteiro. Revoltei-me contra o mundo inteiro, neste momento estou à procura de, através de alguma fé, a fé que me resta, encontrar algumas respostas", revelou durante a entrevista.

Sem conseguir encontrar agora um sentido para a sua vida, Tony Carreira disse que os dois filhos, David e Mickael Carreira, percebem “quando o meu discurso é tão apático quanto este. Eles percebem que é a dor que está a falar, porque é claro que a vida tem de ter sentido, tenho mais dois rapazes e tenho de me agarrar a eles...”.

Ao admitir que deixou de pensar na sua pessoa, o cantor popular disse que espera encontrar sentido através da associação Sara Carreira. “Espero encontrar sentido através dos meus filhos, estou à espera de respostas, estou à espera de tentar perceber o porquê da vida ser tão injusta", sublinhou.

Com a morte da filha mais nova, o cantor disse que “há duas certezas que eu tenho, uma delas é que nunca mais volto a ver a minha filha e a outra certeza é que nunca mais serei o mesmo".

Para Tony Carreira, “a Sara era luz, era alegria, era a minha princesa, era a mulher da minha vida como eu disse muitas vezes", apontou, ao contar que todos os dias vai visitar a lapide da filha ao cemitério.

Quanto à sua relação com a ex-mulher, Fernanda, o laço entre os dois fortaleceu-se com o falecimento da jovem de 21 anos. "Já éramos muito unidos, sempre fomos. Ainda hoje somos uma família, eternamente uma família", acentuou Tony.

Já sobre o seu relacionamento com Ivo Lucas, namorado de Sara, o cantor explicou que “é uma relação muito bonita, tal como com toda a minha família e continua a sê-lo. Eu não sou amigo do Ivo, mas isso eu vi, o Ivo sempre tratou muito bem a minha filha. Teve a fatalidade de ir ao volante daquele carro, mas podia ter sido eu a ir ao volante", observou Carreira, ao acrescentar que está ainda a aguardar pelas respostas do inquérito sobre o acidente.

"Já disse isto ao Ivo, eu não te vou condenar, não te vou julgar, nem eu nem a Fernanda nem nenhum dos miúdos, ninguém", garante na entrevista com Manuel Luís Goucha.

"Não há semana que não estejamos com ele, se não estivermos com ele estamos ao telefone. Se ele não fez nada de mal, não sei, sei que sempre tratou muito bem a minha filha e a minha filha amava-o", assinalou, ao revelar que o ator continua próximo da família Carreira.

Para o cantor, a música será a sua escapatória, numa forma de se reerguer. "Já pedi ao meu agente para me marcar o máximo de espetáculos possível", contou o músico, que tem o desejo de cantar pelo mundo inteiro para "não ter tempo de pensar".

Ao frisar o apoio que recebeu dos portugueses e da classe artística, Tony Carreira explicou que tenta ocupar-se todos os dias, “mas depois lá vem a noite e a noite é terrível… mas pior ainda é o acordar. O acordar é acordar na minha casa e acordar sem saber onde estou, que dia é… é um vazio total", lamentou o músico que falou, ao longo da entrevista, emotivamente sobre o presente.

A entrevista terminou com um pedido de Manuel Luís Goucha, um abraço a Tony Carreira, finalizando a conversa de uma forma muito afetiva e tocante.