Internacional

Ciclone Tauktae já matou pelo menos 27 pessoas e fez 96 desaparecidos na Índia

O ciclone obrigou o país a colocar um travão na vacinação contra covid-19, num momento em que a população está a ser devastada pela segunda vaga da epidemia, que está a levar ao colapso o sistema de saúde.


A passagem do ciclone Tauktae causou pelo menos 27 mortes e 96 desaparecimentos no oeste da Índia devido ao naufrágio de uma embarcação no largo de Mumbai, capital do estado de Maharashtra.

O ciclone obrigou o país a colocar um travão na vacinação contra covid-19, num momento em que a sua população está a ser devastada pela segunda vaga da epidemia, que está a colapsar o sistema de saúde.

Agora, o navio está a ser procurado por duas embarcações e helicópteros da Marinha indiana. Tinha 273 pessoas a bordo e ficou ao controlo dos ventos fortes que se afrontaram na costa ocidental da Índia.

Já foram socorridos 117 passageiros em “condições de mar extremamente difíceis”, indicou a Marinha no Twitter.

As operações de socorro por várias zonas do país irão decorrer durante todo o dia, afirmou o Ministério da Defesa, ainda que as condições marítimas não sejam as mais favoráveis devido à violência da tempestade.

Mais de 200 mil pessoas foram retiradas de zonas de risco em Gujarat, incluindo infetados com covid-19, nas quais o ciclone Tauktae tocou com rajadas de até 185 km/hora, de acordo com o departamento meteorológico indiano.

2.400 localidades ficaram sem eletricidade, mais de 16.500 casas estão danificadas e 40 mil árvores foram arrancadas da terra.

Esta foi a tempestade tropical mais forte a afetar esta região em décadas, ao fazer vítimas nos estados de Kerala, Goa, Maharashtra e Gujarat.

Segundo as autoridades meteorológicas da cidade costeira do Diu, o nível do mar subiu três metros ao longo da costa devido a ventos de 133 quilómetros por hora.

De realçar que esta segunda-feira, o aeroporto de Mumbai ficou fechado durante várias horas, a pedido das autoridades de Maharashtra para transportarem 580 doentes infetados com covid-19 para lugares mais abrigados.

Neste estado, cerca de 12.500 pessoas foram forçadas a abandonar as suas casas, que se situam perto da costa indiana.

De salientar que a costa ocidental da Índia é regularmente assolada por ciclones devastadores. Porém, em vez de serem mais frequentes, este fenómeno natural tem-se tornado mais intenso devido à mudança dos padrões climáticos.

Já a viver com a pandemia de covid-19, uma centena de pessoas morreram em maio de 2020 devido ao ciclone Amphan, a tempestade mais poderosa que arrasou o leste da Índia em mais de uma década, deixando milhões de habitantes sem energia.

Os comentários estão desactivados.