Sociedade

Vende raspadinhas? PSP alerta para eventuais sinais de burla

A Polícia de Segurança Pública (PSP) recorreu às redes sociais para deixar um alerta aos comerciantes de raspadinhas. 


Depois do anúncio da nova raspadinha cuja compra irá reverter para o Fundo de Salvaguarda do Património Cultural, o Comando Metropolitano de Lisboa da PSP recorreu às redes sociais para alertar os comerciantes de jogos de fortuna e azar para potenciais burlas no momento de levantar o prémio.

Na publicação, a PSP apontou quatro situações às quais os comerciantes devem estar atentos:

- “Desconfie de uma quantidade considerável de raspadinhas premiadas”;

- “Atente num relevo anormal na zona dos símbolos supostamente raspados”;

- “Desconfie de comportamentos e atitudes estranhas ou suspeitas por parte dos compradores”;

- “Certifique sempre a raspadinha antes da atribuição do respetivo prémio”.

A nova raspadinha vai estar à venda em toda a rede de mediadores dos Jogos Santa Casa no país e terá um custo de um euro e um prémio máximo de 10 mil euros, segundo anunciou o Ministério da Cultura.

Esta iniciativa foi anunciada o ano passado e fazia parte do Orçamento do Estado para este ano. O objetivo será ajudar a responder a “necessidades de intervenção de salvaguarda e investimento” em património classificado ou em vias de classificação.