Politica

Fernando Ruas volta a candidatar-se à câmara de Viseu

Fernando Ruas foi presidente da câmara de Viseu durante 24 anos e volta a ser a aposta de Rui Rio.


Fernando Ruas vai ser o candidato do PSD à câmara de Viseu nas próximas eleições autárquicas, que vão realizar-se entre setembro e outubro. A escolha foi anunciada oficialmente esta quarta-feira e confirma a aposta do partido no homem que liderou o município durante 24 anos. “Ultrapassado o período de silêncio e de respeito que nos mereceu o inesperado falecimento do presidente da Câmara de Viseu, António Almeida Henriques, a direção nacional do PSD, em estreita articulação com as comissões políticas distrital e concelhia, decidiram homologar o nome de Fernando Ruas para candidato à Câmara Municipal de Viseu”, revelou, esta quarta-feira, o partido liderado por Rui Rio.

O PSD realça que Fernando Ruas “é economista, nasceu e viveu sempre em Viseu, mantendo-se fiel às suas raízes, razão pela qual decidiu regressar para se candidatar à autarquia que liderou durante mais de duas décadas com grande sucesso”.

Atualmente, Fernando Ruas exerce o cargo de deputado na Assembleia da República e preside à comissão parlamentar de Administração Pública, Modernização Administrativa, Descentralização e Poder Local.

 

24 anos à frente da câmara

Fernando Ruas foi presidente da Câmara de Viseu, entre 1989 e 2013, e presidente da Associação Nacional de Municípios tendo, entre 2002 a 2013. Exerceu também o cargo de eurodeputado entre  2014 e 2019.

O candidato socialista à autarquia de Viseu, João Azevedo, reagiu ao anúncio feiro pelo PSD com a garantia de que esta é uma candidatura “datada” que “representa um regresso ao passado e a uma liderança que o próprio PSD já tinha ultrapassado”.

João Azevedo, em comunicado, garante ainda que se vencer as eleições “contará também com Fernando Ruas para a construção de um novo futuro para Viseu”.

Rui Rio já definiu como objetivo do PSD “subir bastante” em relação às últimas eleições autárquicas em que o partido conquistou apenas 98 câmaras. “É absolutamente impensável continuar a perder, aquilo que é pensável é começar a subir e não subir pouco, é subir bastante”, disse, recentemente, o presidente do PSD, na apresentação do candidato à câmara de Almada.

O PSD foi dos primeiros partidos a apresentar os candidatos, mas o processo tem sido alvo de críticas devido a algumas escolhas. Suzana Garcia,  ex-comentadora de assuntos relacionados com a Justiça, foi uma das opções mais polémicas devido às posições assumidas pela candidata em relação ao racismo e à castração química para pedófilos. Rui Rio foi também criticado por apostar no ex-selecionador nacional António Oliveira para a câmara de Gaia. O líder do partido é defensor, há muitos anos, da separação entre a política e o futebol. 

As eleições autárquicas podem ser decisivas para a atual liderança do PSD. Rui Rio já admitiu que será o “primeiro responsável” e não excluiu retirar consequências de uma derrota. Passos Coelho deixou a liderança a seguir às últimas eleições autárquicas.