Internacional

Trump alvo de nova investigação criminal

Acusado de mentir sobre o valor da Trump Organizaton, o ex-Presidente está a ser alvo de três investigações criminais em simultâneo.

O ex-Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, entrou em mais uma ronda de quezílias contra a justiça, e está a ser acusado de manipular falsamente os valores da sua empresa, a Trump Organization, de forma a segurar empréstimos bancários e isenções fiscais lucrativas.

“Informámos a Trump Organization que o nosso inquérito a esta empresa já não é apenas de natureza civil”, anunciou um porta-voz da procuradora do estado de Nova Iorque, Letitia James, na terça-feira, que já investigava as finanças do ex-Presidente mesmo antes deste chegar à Casa Branca. “Investigamos agora ativamente a Trump Organization em matéria penal, juntamente com o procurador de Manhattan”, acrescenta a nota.

Os casos civis geralmente estão associados a situações em que os lesados são indivíduos ou entidades privadas, incluindo empresas, já os casos de matéria penal são aqueles que aqueles em que os danos causados afetam a sociedade de um modo geral, incluindo o Estado.

O comunicado da procuradora não esclarece o porquê da mudança de natureza do caso, nem se Trump estará pessoalmente implicado nestas alegações.

Este é um “sinal cada vez mais sério” para Trump, indica a CNN, uma vez que esta notificação pode representar um novo nível de risco legal para o ex-Presidente, que agora enfrenta três investigações criminais em simultâneo, e a sua família.

Letita James abriu um inquérito civil, em março de 2019, onde acusava Trump de inflacionar os valores dos seus ativos quando pedia empréstimos aos bancos e quando os declarava aos impostos fazia o inverso, apresentando valores mais baixos.

Paralelamente, o procurador de Manhattan, o democrata Cyrus Vance, começou a investigar o ex-Presidente, em 2018. Inicialmente centrava-se nos pagamentos feitos antes das eleições presidenciais de 2016 a duas supostas amantes do multimilionário republicano.

Este caso acabou por se expandir para incluir alegações de fraude fiscal, fraude de seguros ou fraude bancária e a investigação está agora a ser conduzida de forma confidencial perante um grande júri.

Em fevereiro, o procurador Cyrus Vance obteve as declarações fiscais de Donald Trump nos últimos oito anos, bem como as da Trump Organization, após uma longa batalha judicial.

Donald Trump negou qualquer ato ilícito e acusou a investigação de ser “a continuação da maior caça às bruxas política da história do país”.

 

Longe da Vista, Perto do Poder

Afastado da Casa Branca depois de ter perdido as eleições presidenciais para Joe Biden, a influência de Trump continua bem presente entre os legisladores republicanos.

Um dos maiores exemplos da lealdade do partido ao ex-Presidente foi o afastamento de Liz Cheney da liderança do partido na Câmara dos Representantes e de ‘número 3’ dos republicanos na câmara baixa do Congresso norte-americano, por ter refutado as alegações de Trump sobre a existência de fraude nas eleições.

A filha do ex-vice Presidente Dick Cheney foi substituída pela congressista republicana Elise Stefanik, uma apoiante declarada de Trump.