Economia

Endividamento da economia atinge novo recorde de 753,3 mil milhões em março

Desse valor, 346,3 mil milhões dizem respeito ao setor público e 406,9 mil milhões ao setor privado, revela Banco de Portugal.


O endividamento da economia portuguesa voltou a atingir um novo recorde no mês de março, atingindo os 753,2 mil milhões de euros. Os dados foram revelados esta quinta-feira pelo Banco de Portugal (BdP) que revela que desse valor, 346,3 mil milhões dizem respeito ao setor público e 406,9 mil milhões ao setor privado.

Relativamente ao mês anterior, o endividamento do setor não financeiro registou um aumento de 1,8 mil milhões de euros, justificados pelo BdP com o incremento de 700 milhões de euros do endividamento do setor público e 1,1 mil milhões de euros do endividamento do setor privado.

O banco liderado por Mário Centeno diz ainda que “o aumento do endividamento do setor público resultou, sobretudo, do acréscimo do endividamento face ao exterior (1,3 mil milhões de euros), parcialmente compensado pela redução do endividamento face às próprias administrações públicas (0,6 mil milhões de euros)”.

Já o aumento do endividamento do setor privado proveio do aumento de 700 milhões no endividamento das empresas e 400 milhões de euros dos particulares. “Ambos os aumentos resultaram, sobretudo, da subida do endividamento face ao setor financeiro”, justifica o banco central.

Ainda relativamente ao mês de março, a taxa de variação anual (tva) do endividamento total das empresas privadas foi de 3,1%, um crescimento de 1,3 pontos percentuais face ao mês anterior. Já a tva do endividamento total dos particulares subiu 0,4 pontos percentuais, para 1,4%.