Desporto

"Um foi o único clube do mundo com covid-19 e o outro só teve 16 penáltis", diz Frederico Varandas

Discurso do presidente do Sporting ficou marcado por críticas aos rivais. 

Frederico Varandas discursou, esta quinta-feira, na Praça do Município, e aproveitou o momento para deixar algumas farpas aos rivais Benfica e FC Porto, “duros dentro de campo, mas com estratégias distintas fora dele”.

“As nossas primeiras palavras vão para os nossos dois rivais [Benfica e FC Porto]. Foram duros dentro de campo e deram luta até ao fim. Sem eles não tínhamos batido recorde atrás de recorde. Sem eles não tínhamos chegado até aqui. Um obrigado a eles. E ainda falando sobre os nossos rivais seria bastante injusto confundir os nossos rivais com os líderes das instituições que os representam. Cada clube tem a sua estratégia de comunicação, e isso é legítimo. Um diz que não foi campeão, porque foi o único a sofrer de covid-19, o outro porque tiveram apenas 16 penáltis”, começou por dizer o presidente do Sporting, na Câmara Municipal de Lisboa, onde o plantel foi homenageado pela conquista do campeonato 2020/21.

“Mas eles sabem, e todos sabem, que o Sporting venceu por ser o mais competente. E venceu e festejou. Ouvi alguém dizer que foi um espetáculo degradante os festejos em Lisboa”, disse, referindo-se indiretamente a Pinto da Costa. “É certo que houve excessos impossíveis de controlar. Mas degradante para mim é estar envolvido em escutas há anos e anos”, acrescentou.

“Eu quero dar mérito a esta conquista, porque partíamos com um investimento bastante inferior ao dos rivais e conseguimos isso por sermos muito resilientes e com muito coração. Eu sempre disse que o percurso ia ser difícil e que não íamos ganhar à base do dinheiro e do poder, mas sim com inteligência. Não podíamos ceder ao populismo e ao ruído que vem sempre do exterior. Deixem-me confessar que depois de a equipa ter sofrido dois empates, e ver o rival (FC Porto) a quatro pontos, que nesse momento sentimos que 'lá íamos passar pelo mesmo outra vez'. Mas, após o empate diante do Belenenses SAD eu disse que íamos ser campeões, por termos conseguido mudar o nosso clube para uma mentalidade vencedora. Naquele momento, eu senti medo, afinal sentimos todos. Mas ter coragem não é ter medo, ter coragem é não ceder ao medo. Peço aos sportinguistas que nas adversidades, e isso faz parte, mas que nunca mostrem medo aos nossos jogadores, muito menos aos nossos adversários”, destacou.