Internacional

Merkel começa a desconfinar Alemanha, mas tem receio de que os turistas britânicos possam trazer variante indiana

O Governo alemão classifica Reino Unido como zona de risco elevado e obriga os residentes deste país a fazer quarentena na chegada à Alemanha. 


O executivo de Angel Merkel classifica o Reino Unido como zona de risco elevado devido à mutação indiana da covid-19.

Com vários países europeus, nomeadamente Portugal, abrir gradualmente as portas aos turistas britânicos sem tantas restrições, agora os residentes do Reino Unido terão de fazer quarentena na chegada à Alemanha, informaram as autoridades de saúde alemãs.

Em causa está o crescimento verificado nas últimas semanas do número de casos associados à variante indiana. De realçar que na quinta-feira, o Reino Unido registou o número mais alto de infeções desde abril às custas do impacto desta estirpe denominada B.1.617.2.

Esta classificação foi apresentada no momento em que a Alemanha está a entrar na próxima etapa do levantamento das restrições. A chanceler Angel Merkel pediu aos alemães cautela durante o processo de desconfinamento.

Pela primeira vez em vários meses, restaurantes, cafés e bares em Berlim abriram as suas portas para servir os clientes nas esplanadas.

De mencionar que para ir almoçar a uma esplanada na Alemanha é preciso apresentar um certificado de vacinação ou um teste negativo à covid-19.

Neste momento, a maioria das cidades alemãs estão com menos de 100 infeções por 100 mil habitantes, número que era ultrapassado em quase todo o país há meses, tendo levado a Alemanha a confinamento total.

Porém, Angel Merkel afirmou que "podemos estar felizes pela descida [do rácio de infeções] nos últimos dias (...)”, e espera que “depois de tanto tempo de clausura e de oportunidades que não tiveram, as pessoas tratem estas oportunidades com responsabilidade. O vírus não desapareceu", advertiu Merkel a um grupo de jornalistas.