Sociedade

Manifestantes cortaram o trânsito na Rotunda do Relógio em protesto climático. PSP deteve várias pessoas

Segundo uma publicação do Climáximo no instagram, o movimento já convocou outro protesto "na esquadra 34, Avenida Cidade Lourenço Marques - Praceta A, 1800 Lisboa, Olivais Sul, em solidariedade com as mais de 25 ativistas detidas".


"Mais ferrovias, menos aviões", "Transição justa, justiça climática" foram as palavras de ordem do movimento Climáximo que se apresentou, este sábado à tarde, em protesto, tendo cortado o trânsito na Rotunda do Relógio, em Lisboa, contra a poluição emitida pelos aviões. A PSP deteve várias pessoas.

Os polícias detiveram várias pessoas por desobediência, tendo realizados várias advertências para os manifestantes desocuparem a via, contudo os protestantes não obedeceram aos avisos, segundo informou a PSP à agência Lusa.

De frisar que será emitido pela força de segurança um balanço sobre o número de detenções.

Cerca de meia centena de manifestantes uniram-se às 16h30 na zona das chegadas do aeroporto, sempre vigiados pela PSP, e caminharam depois a pé até à Praça do Aeroporto, conhecida como Rotunda do Relógio.

Foi neste local que o protesto acabou por cortar o trânsito, indicou a Lusa. A PSP tentou impedir que outros manifestantes cortassem o trânsito em outras vias de acesso à Praça do Aeroporto.

"Ao mesmo tempo que a ciência e critérios de justiça social nos dizem que Portugal precisa de cortar as suas emissões de gases com efeito de estufa em 74% até 2030, o Governo mostra a sua hipocrisia ao prometer reduzir emissões aumentando-as, através da aviação", disse Beatriz Rodrigues, porta-voz da ação, num comunicado em que anunciava durante o protesto.