Internacional

União Europeia pede investigação internacional sobre desvio de avião para deter jornalista na Bielorrússia

Josep Borrell pede ainda a "libertação imediata" do jornalista Roman Protasevich.


A União Europeia irá, esta segunda-feira, discutir as sanções a aplicar à Bielorrússia na sequência do desvio e aterragem forçada de um avião civil em Minsk para deter um jornalista opositor do regime e defende que “deve levar-se a cabo uma investigação internacional” sobre o incidente.

"A UE considerará as consequências desta ação, incluindo a adoção de medidas contra os responsáveis”, disse o alto representante para a Política Externa da UE, Josep Borrell.

"Ao levar a cabo este ato coercivo, as autoridades bielorrussas puseram em risco a segurança dos passageiros e da tripulação. Deve levar-se a cabo uma investigação internacional sobre este incidente para determinar qualquer incumprimento das normas de aviação internacional", acrescentou.

O representante da UE pede ainda a "libertação imediata" do jornalista Roman Protasevich.

Recorde-se que o jornalista em causa foi detido, no domingo, após o Presidente da Bielorrússia, Alexander Lukashenko, ordenar o desvio de um voo da Ryanair – que viajava entre Atenas (Grécia) e Vilnius (Lituânia) – para Minsk, capital da Bielorrússia.