Cultura

Vocalista da banda vencedora da Eurovisão acusa negativo para a presença de drogas no sangue

Organização do festival já veio confirmar o resultado negativo do músico dos Maneskin e lamenta a polémica alimentada por especulações.


O vocalista do grupo italiano Maneskin, que no sábado venceu o Festival da Eurovisão da Canção 2021, acusou negativo para a presença de droga no organismo, depois de ter sido submetido a testes de despistagem, na sequência da polémica que surgiu com um vídeo.

A informação foi já confirmada pela organização do festival.

“Após alegações de uso de drogas na Sala Verde da Grande Final do Festival Eurovisão da Canção no sábado, 22 de maio, a União Europeia de Radiodifusão (EBU), conforme solicitado pela delegação italiana, realizou uma verificação completa dos factos, incluindo a verificação de todas as imagens disponíveis. Um teste de drogas também foi voluntariamente realizado hoje cedo pelo vocalista da banda Måneskin que deu um resultado negativo verificado pela EBU”, lê-se num comunicado oficial.

A EBU reitera que “não houve qualquer uso de drogas na Sala Verde”e que considera "o assunto encerrado".

“Estamos preocupados que especulações imprecisas levando a notícias falsas obscureceram o espírito e o resultado do evento e afetaram injustamente a banda”, lamenta a organização.

Por último, a EBU volta a dar os parabéns à banda vencedora e deseja-lhes “muito sucesso”.

“Estamos ansiosos para trabalhar com nosso membro italiano Rai na produção de um espetacular Eurovision Song Contest na Itália no próximo ano”, acrescenta.

Recorde-se que após a circulação das imagens onde parecia que Damiano David estaria a consumir cocaína, o músico explicou que se inclinou sobre a mesa para olhar para o chão, pois um colega da banda tinha partido um copo.