Vida

Madalena Abecasis recorda episódio de bullying na infância. "Levei uns valentes 7 ou 8 chapadões de mão puxada atrás"

A influenciadora revelou que foi agredida "em frente de gente", mas só uma pessoa a socorreu. Agora com quatro filhos, diz ficar “doente” só de pensar que um deles possa vir a ser vítima de bullying.

A influenciadora Madalena Abecasis mostrou-se “inquieta” com a notícia de um jovem atropelado enquanto alegadamente fugia de colegas que o tentavam agredir, no Seixal. Numa publicação, partilhada esta quarta-feira nas redes sociais, a figura pública sublinhou que o incidente “podia ter sido uma tragédia” e partilhou um episódio em que um grupo de raparigas foi até à sua escola para a agredir.

“Não pude deixar de me lembrar de quando andava no liceu, um grupo de gajas foi à minha escola para nos fazer uma espera, a mim e a umas amigas. Por uma razão qualquer que fazia sentido naquelas cabeças”, afirmou.

Madalena Abecasis contou ainda que as raparigas não puderam entrar no estabelecimento porque não estudavam ali e então “os contínuos não deixavam entrar”. “Mas elas estavam ali, coladas ao portão, todas cadelas raivosas a quererem distribuir fruta. E eu pensei ‘... bem, se eu não for lá fora, elas não vão desistir, irão voltar noutro dia e noutro e noutro’”, contou.

“Então, em frente a toda uma escola, em frente a todos os vigilantes, agarrei em mim e no que me restava de orgulho e sai sozinha pra levar na boca”, acrescentou.

A influenciadora revelou que levou “uns 7 ou 8 chapadões de mão puxada atrás, daqueles que fazem eco, sem contestar”. “Sem dizer uma palavra. Sem levantar um dedo. Porque era isso que elas queriam. Que eu me virasse, que eu me defendesse. Mas se o fizesse, a coisa ia acabar mal para mim.”, sublinhou.

A agressão terá acontecido “em frente de gente”, mas ninguém se pronunciou, além de “uma corajosa”.

“Levei para assar, em frente de gente, e só uma pessoa, em toda uma escola, foi lá buscar-me. Uma corajosa. Uma rapariga que nem sequer era minha amiga. Mas foi lá, puxou-me por um braço e enxotou-as com tanta firmeza que até eu fiquei em sentido. E a coisa ficou por ali”.

Agora com quatro filhos – Francisca, de 14 anos, José, de quatro, Júlia, de dois, e João Diogo, com apenas três semanas – Madalena Abecasis diz ficar “doente” só de pensar que um dos seus filhos possa ser vítima de bullying e que os ensina a tomar uma atitude defensiva com o próximo.

“Digo-lhes muitas vezes: se virem alguém a tratar mal outro menino, vão fazer queixa, vão lá defendê-lo, façam o que for preciso para não deixar que isso aconteça. E espero que eles me oiçam e que, principalmente, não presenciem este tipo de coisas. Não sofram esse tipo de coisas. Não façam esse tipo de coisas. Não excluam, não gozem, não sejam maus. Aceitem os outros como eles são. Que sejam melhores do que eu fui. Que tenham valores. Que lutem por eles!”, disse.

“Eu que saiba que alguém sequer toca num fio de cabelo de qualquer um dos meus 4 filhos. Eu que saiba.”, concluiu.