Internacional

Atentado em Barcelona. Três cúmplices condenados a penas de até 53 anos de prisão

Os ataques de 17 e 18 de agosto de 2017 tiveram como alvo a avenida das Ramblas, no centro de Barcelona. No total 16 pessoas morreram, entre as quais duas portuguesas, e 140 ficaram feridas.


Três homens acusados de serem cúmplices nos ataques terroristas na Catalunha, em agosto de 2017, foram, esta quinta-feira, condenados a penas de entre oito a 53 anos de prisão.

Mohamed Houli, uma das sete pessoas feridas na explosão de gás em Alcanar relacionada com a organização do atentado, foi condenado a 53 anos.

Driss Oukabir, o homem que alugou a carrinha que iria vitimar 14 pessoas em Las Ramblas, no centro de Barcelona, foi condenado a 46 anos.

Já Said Ben Iazza, foi condenado a oito anos por emprestar os seus documentos e uma carrinha para comprar e transportar dispositivos explosivos.

Os ataques de 17 e 18 de agosto de 2017 tiveram como alvo a avenida das Ramblas, no centro de Barcelona. Um homem, de 22 anos, conduziu um carro para a zona pedonal, atropelando mortalmente 14 pessoas, incluindo duas portuguesas, e deixando mais de uma centena feridas. Horas mais tarde, cinco cúmplices, esfaquearam várias pessoas em Cambrils, a cerca de 120 quilómetros de Barcelona, e agrediram uma mulher até à morte. No total 16 pessoas morreram e 140 ficaram feridas.

Os seis atacantes, todos filhos de imigrantes marroquinos entre os 17 e os 24 anos, foram mortos pela polícia.