Sociedade

Prisão preventiva para estrangeiro que raptou e violou mulher em barraca onde vivia em Lisboa

Mulher conseguiu fugir, acabando por percorrer várias ruas de Lisboa sem roupa até encontrar ajuda.


O Tribunal de Instrução Criminal de Lisboa decretou a prisão preventiva de um cidadão estrangeiro por indícios de violação, coação sexual, perseguição, sequestro e rapto de uma mulher.

Existem fortes indícios de que, entre janeiro e abril deste ano, o arguido praticou vários atos de natureza sexual contra a vontade da vítima, que vivia numa tenda na capital, segundo uma nota do Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) de Lisboa.

A vítima foi raptada, na quinta-feira passada, e levada para a barraca onde o detido pernoitava. A mulher terá sido despida da cintura para baixo, mas conseguiu fugir, percorrendo várias ruas de Lisboa sem roupa, até encontrar ajuda.

Sublinhe-se que o mesmo cidadão tinha cumprido uma pena de prisão de dois anos e seis meses, por roubo cometido em abril de 2020.