Sociedade

Casos de covid-19 voltaram a aumentar em quase todo o país e quebrou-se ciclo de descida nos maiores de 80 anos

Depois de meses a descer, semana findou com mais doentes internados e mais casos acima dos 80.


Na última semana voltou a registar-se uma subida de diagnósticos de covid-19 no país. Os mais jovens representam a maioria dos novos casos, mas houve também mais casos na faixa etária dos 50 aos 59 anos e quebrou-se o ciclo de descida de infeções nos maiores de 80 anos. Embora sejam muito menos do que no pico da epidemia em fevereiro, voltam agora a aumentar os doentes internados. Há uma semana eram 239 e no final desta semana eram 283 doentes hospitalizados, 52 em UCI. Como i avançou na semana passada, há um mês que se nota um ligeiro aumento nas hospitalizações de pessoas mais novas.

Os dados da Direção Geral da Saúde, que o i analisou, revelam que o país viveu a segunda semana consecutiva de aumento de casos, influenciada sobretudo pela subida de infeções diagnosticadas em Lisboa mas também com as infeções a registar de novo um aumento na região Norte. Ao todo foram diagnosticados no país 3628 infeções de covid-19, mais 18% do que na semana anterior. A região de Lisboa domina os diagnósticos (foram 1766 novos casos na semana passada). É também a região que regista uma maior subida nos casos, um aumento de 33% face à semana anterior. Note-se que a testagem foi reforçada em especial em Lisboa mas a subida de diagnósticos não se fica por aí. O Norte, que até aqui estava com uma tendência decrescente, voltou a registar um aumento, não tendo sido revelado quantos diagnósticos positivos foram obtidos nos rastreios que decorreram no Porto, nomeadamente no acesso às fan zones e ao Estádio do Dragão onde se disputou a final da Champions. Foram diagnosticados 1055 casos na última semana no Norte, contra 955 na semana anterior (+10%). Na região Centro foram diagnosticados 296 casos, um aumento de 13% face à semana anterior. No Alentejo foram diagnosticados 106 novos casos, mais cinco do que na semana anterior. Apenas no Algarve e nas ilhas não se verifica um aumento de casos. 

Maiores subidas nos jovens As maiores subidas nos diagnósticos foram nas crianças e jovens até aos 19 anos: foram diagnosticados 612 casos em jovens, contra 394 na semana anterior. Os grupos etários dos 20 aos 40 anos continuam a representar a maioria dos casos, mas na última semana houve uma subida mais expressiva na faixa etária dos 50 aos 59 anos (os casos subiram 44%, de 395 para 569 casos). Se entre sexagenários e septuagenários houve menos diagnósticos, nos maiores de 80 os casos voltaram a subir depois de várias semanas a descer. Foram diagnosticados nesta faixa etária 153 novos casos, quando na semana anterior tinha havido um mínimo de 103 casos. O i tentou perceber junto da DGS a que estão ligados estes novos casos em idosos mas ontem não obteve resposta. Na sexta-feira, na reunião do Infarmed, André Peralta Santos, da DGS, revelou que desde fevereiro foram diagnósticos 272 casos em idosos com mais de 80 anos já integralmente vacinados, com uma evolução mais benigna do que antes de ser iniciada a vacinação. Entre estes 272 idosos que contraíram o vírus, houve 15 hospitalizações e zero mortes.