Vinagrete

Sportinguistas exaltados

Os adeptos ingleses, sempre os hooligans, lá vieram fazer esquecer a performance sportinguista


Que os sportinguistas se exaltaram demasiado com a sua rara vitória no campeonato nacional, estragando mesmo os festejos, é tão verdade, que ouvi os piores ditos sobre a matéria a sportinguistas de gema, que estavam indisfarçavelmente radiantes com o resultado do Campeonato, mas insatisfeitos com reacções públicas de adeptos do seu clube.

De resto, os mais mal comportados, parecem ter sido os tais jovens de que se tem falado tanto. E, apesar de eu me confessar benfiquista, penso que estas juventudes mal comportadas estão hoje em todos os clubes. Até ao Benfica terão já chegado nos tempos do actual presidente Vieira – o tal que fez aquela prestação tristíssima e recente no Parlamento. E o pior são os apoios que recebem dos seus clubes. E os adeptos ingleses, sempre os hooligans, lá vieram fazer esquecer a performance sportinguista, que tão pouco parecia tão exageradamente culpada como se dizia ou sugeria.

Julgo que os ataques ao ministro da Administração Interna, devem-se sobretudo a ele ter-se posto a jeito noutros casos. Porque o que lhe competia a ele, que era assegurar a Ordem Pública, fê-lo através da PSP, que se saberia depois ter querido e proposto outra forma de celebrações no Sporting (embora certamente não lhe competisse dar ou soltar esta informação). Com os ingleses, a nossa Polícia nem parecia a nossa Polícia, para sua irritação.

A PSP é normalmente sádica e pouco contida nas suas actuações. Por isso estranhei tanto ver decidido pô-la a substituir o SEF, em que me parecia mais simples limpá-lo dos maus elementos. Claro que a PSP tem agora gente moderna, com mais formação, que não se deve portar tão mal. A não ser os influenciados por alguns maus velhos agentes, com os seus vícios muito arreigados.

Quanto ao mais, julgo que a principal obrigação  de conter os seus jovens agressivos, em vez de os apoiar de alguma forma, seria em primeiríssimo lugar do Sporting (ou das autoridades do Futebol, incluindo os clubes, no caso inglês). Ou a eles próprios, se lhes desse para pensar. Enfim, podiam todos os clubes começar a dar atenção a isto, porque os contribuintes já são chamados a contribuírem muito para os seus meninos mal criados com operações demasiado grandes e frequentes das Polícias.

E será que vão mesmo fazer a quarentena pedida? E terão ao menos remorsos pela responsabilidade que lhes cabe em continuarmos a ter os estádios vazios de público? Julgo que não. É mais fácil atacar o Cabrita.