Vida

Ellie Kemper acusada de ser a "rainha" da supremacia branca

A atriz das séries 'The Office' e 'Unbreakable Kimmy Schmidt' foi eleita vencedora de um concurso associado à supremacia branca.


Ellie Kemper está a ser acusada de racismo e de ser a “rainha” da supremacia branca. Em causa está a divulgação de uma fotografia, esta terça-feira, da atriz de ‘Unbreakable Kimmy Schmidt’ e ‘The Office’ a participar num baile de debutantes associado à supremacia branca.

A atriz, agora com 41 anos, participou no Veiled Prophet Ball [Baile do Profeta Velado] de Saint Louis, em 1999, no estado norte-americano do Missouri, quando tinha apenas 19 anos. O baile realiza-se desde 1878 e todos os anos uma pessoa é escolhida pelas elites locais para ser o “Profeta Velado”, responsável por, anonimamente, escolher a “Rainha do Amor e da Beleza”. Em 1999, a jovem Elizabeth Claire Kemper, conhecida como Ellie Kemper, foi a vencedora do título.

Mas porque é o desfile está associada à supremacia branca? Segundo o jornal The Atlantic, que havia divulgado o envolvimento da atriz em 2014, o também concurso de beleza, que em 1992 mudou de nome para ‘Fair Saint Louis’, proibia a participação de pessoas negra alegando que foi fundado “por elites brancas ricas”. Os cidadãos afro-americanos só começaram a ser aceites em 1979, mas nunca tiveram uma grande representatividade.

Nas redes sociais, são várias as críticas à atriz. “Tive de ler as notícias da Ellie Kemper cinco vezes. O KKK tem uma princesa?”, ironizou um internauta. “É irónico o facto de Ellie Kemper ter sido protagonista de um série onde foge de um culto racista, tendo em conta a sua vida pessoa”, diz outro.

Mas também há quem a defensa. “Ellie Kemper participou naquele concurso há anos, mas não há evidências de que seja racista”, alertou um utilizador do Twitter. “O concurso permite pessoas negras desde 1979, 20 anos antes da participação da Ellie Kemper”, defende um fã.