Economia

Novo Banco. Imparidades foram baseadas em "factos objetivos"

Venda da GNB Vida “correu muito mal”, disse presidente da Comissão de Acompanhamento do Novo Banco.

 


As imparidades do Novo Banco foram constituídas baseadas “em factos objetivos. A garantia foi dada pelo presidente da Comissão de Acompanhamento do banco, José Bracinha Vieira, que esteve hoje a ser ouvido no parlamento. “Até hoje vi sempre as imparidades baseadas em factos perfeitamente objetivos, em circunstâncias que têm a ver com a não execução de planos de negócio, com a perda de valor de colaterais, com aquelas circunstâncias que devem levar à constituição de provisões”.

O presidente da Comissão de Acompanhamento do banco, estrutura que segue o cumprimento do Acordo de Capitalização Contingente (CCA) celebrado aquando da venda à Lone Star, lembrou que nessa constituição de imparidades, “há um ou outro caso, é exceção, absolutamente exceção”, em que esse processo gerou “algumas dúvidas”- E acrescentou: “Se é verdade que há regras na constituição de imparidades, há um pequeno coeficiente que tem a ver com uma apreciação subjetiva dos factos, e portanto há casos em que dizemos que pode estar a ser excessiva a imparidade constituída. Isto é absolutamente excecional, devo dizer”.

Venda da GNB Vida "correu muito mal" José Bracinha Vieira referiu que o processo de venda da seguradora GNB Vida “correu muito mal”, ao contrário do sucedido com as carteiras de crédito malparado.

O valor totaliza 4.078 milhões de euros de recuperações, superior 3.778 milhões de euros de perdas, uma diferença que o presidente da Comissão de Acompanhamento fez questão de vincar. “Acho que o processo de venda das carteiras [de malparado] correu bem. O processo de venda da GNB Vida correu muito mal. Teve vários problemas pelo caminho e teve uma revisão de preço para baixo muito substancial ao longo da vida da negociação do contrato”, disse.

A seguradora GNB Vida já foi tema de discussão na semana passada, tendo sido objeto de uma oferta inicial de 191 milhões de euros (mais 125 milhões variáveis), que passou posteriormente para 81 milhões de euros, tendo sido acrescentadas adendas que subiram o preço para 123 milhões de euros.