Sociedade

"Insidiosas mentiras". Cabrita desmente que PSP tenha tido instruções para não intervir nos festejos da Champions

O ministro sublinhou ainda que “as forças de segurança foram decisivas” para que Portugal passasse a ser dos países com menor incidência acumulada de casos de covid-19 da União Europeia.


O Ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, considerou esta quarta-feira, no Parlamento, que as informações de que a Polícia de Segurança Pública (PSP) teria recebido instruções para não intervir nos ajuntamentos dos adeptos ingleses nos festejos da final da Liga dos Campeões, no Porto, são “insidiosas mentiras”.

"Temos sempre a aprender com aquilo que são as respostas a estes grandes desafios mas queria aqui mostrar o reconhecimento do Governo pela capacidade operacional, mesmo quando são objeto de insidiosas mentiras como foi a propalada instrução para uma não intervenção no Porto por parte de uma das unidades da PSP", disse durante uma audiência na Comissão de Assuntos Constitucionais, Direitos, Liberdades e Garantias. 

“Isso violaria toda a autonomia técnico-operacional. Seria, aliás, uma falta de respeito por uma força que é conhecida a nível europeu pela sua capacidade de intervenção nesse domínio”, acrescentou.

O ministro sublinhou ainda que “as forças de segurança foram decisivas” para que Portugal passasse a ser dos países com menor incidência acumulada de casos de covid-19 da União Europeia.

As forças de segurança forma decisivas para que do mês de janeiro, o mês mais difícil de mais de um ano de pandemia, Portugal passasse desde março a ser o país com melhores resultados a nível de toda a União Europeia a nível da incidência"