Politica

Ana Catarina Mendes pede "bom senso" a Pedro Nuno Santos

Em causa está a troca de acusações entre o ministro das Infraestruturas e o CEO da Ryanair.


Ana Catarina Mendes teceu duras críticas à forma como o ministro das Infraestruturas reagiu à posição assumida pelo presidente da Ryanair, envolvendo-se numa troca de acusações com Michael O’Leary, apesar de ter admitido que não gostou de ver ataques como os que foram feitos pela Ryanair”, no entanto, reconhece que “reagir de forma mais truculenta não resolva problema nenhum, antes pelo contrário. E, por isso, maior recato ou sensatez, bom senso, nestas reações”.

E foi mais longe: “Não se pode pôr no mesmo patamar porque é ministro e tem uma responsabilidade acrescida e sobretudo tem que haver aqui alguma ponderação e alguma sensatez na forma como se reage”, afirmou a líder parlamentar do PS, no programa Circulatura do Quadrado.

Recorde-se que Pedro Nuno Santos esteve reunido na semana passada com o responsável da companhia irlandesa que voltou a apontar o dedo ao Governo português por estar a “desperdiçar dinheiro” com a “falhada” TAP. O governante respondeu à letra e acusou a companhia aérea de se “aproveitar de uma situação difícil” e avisou que o Executivo não aceita intromissões, nem lições de uma companhia aérea estrangeira.

A polémica surgiu na sequência da decisão do Tribunal de Justiça da União Europeia, que anulou a decisão da Comissão Europeia que aprovou uma ajuda estatal de 1200 milhões de euros à TAP, considerando-a “insuficientemente fundamentada”. Pedro Nuno Santos diria depois que a decisão do Tribunal de Justiça tem origem numa “guerra comercial” da responsabilidade da Ryanair.