Politica

Santos Silva repudia decisão, oposição fala de "par de patins"

Ministro reagiu em português e em inglês nas redes sociais.


O Governo reagiu no Twitter, pela conta do ministro dos Negócios Estrangeiros. “Tomamos nota da decisão britânica de retirar Portugal da ‘lista verde’ de viagens, uma decisão cuja lógica não se alcança. Portugal continua a realizar o seu plano de desconfinamento, prudente e gradual, com regras claras para a segurança dos que aqui residem ou nos visitam”, escreveu Augusto Santos Silva, primeiro em português, depois em inglês. À hora de fecho desta edição, não havia mais reações do Governo, mas havia já críticas da oposição: “O Governo português abriu-lhes as portas a qualquer custo, sem condições e sem planeamento e agora recebe em troca um ‘par de patins’ do Governo inglês”, atacou o CDS. Já a Iniciativa Liberal acusa Santos Silva de um “falhanço em toda a linha”.

O anúncio foi feito pelo ministro britânico dos transportes, Grant Shapps, num dia em que Reino Unido festejou ter atingido a marca de 50% da população adulta com a vacinação completa. “É uma decisão difícil de tomar”, disse. “Não sabemos o potencial desta mutação para escapar à vacinação e simplesmente não queremos correr riscos à medida que nos aproximamos de 21 de junho e da revisão da quarta etapa do desconfinamento.”

O aumento de casos em Inglaterra, associado à variante indiana, tem levado o Governo inglês a mostrar-se hesitante com o seguimento do desconfinamento no país. Os casos desta variante aumentaram 80% em Inglaterra na última semana, para um total de 12 431. As más notícias chegam dos primeiros estudos sobre eficácia das vacinas:_esta semana, o Instituto Pasteur, em França, divulgou os resultados de um primeiro estudo, com 28 participantes: sugere que a vacina da Pfizer (duas doses) oferece alguma proteção contra a variante, mas três a seis vezes menor do que oferece contra a variante inglesa. Já a vacina da AstraZeneca, usada maioritariamente em Inglaterra, tem resultados mais baixos ainda.