Sociedade

Graça Freitas considera que final da Liga de Campeões correu "muito bem" e sublinha que houve dois tipos de público

Diretora-geral da Saúde fala em dois grupos. 


Graça Freitas considerou, esta sexta-feira, que, de modo geral, a final da Liga dos Campeões, no Porto, correu “muito bem” e destacou que houve dois tipos de público.

"Um [tipo de público] que teve a ver com os adeptos que vieram dentro de uma organização que foi controlada pela UEFA, pela Federação Portuguesa de Futebol e que teve o contributo do Ministério da Saúde e da Direção-Geral da Saúde, em que nós demos dois pareceres. O outro público, diferente, foi o público dos turistas, e os turistas têm a sua dinâmica própria, são cidadãos que apanharam aviões, vieram para Portugal, entraram em Portugal com teste negativo e depois tiveram o comportamento que se viu", disse a diretora-geral da Saúde, em declarações aos jornalistas, em Avis, reiterando que, “de um modo geral” a situação relacionada com os adeptos que vieram de Inglaterra com o seu bilhete comprado esteve “bastante bem controlada”.

“Não esteve a 100% [controlada], houve momentos em que não estiveram na distância adequada ou não estavam com máscara, mas de um modo geral correu muito bem, estavam testados”, garantiu, apelando depois ao cumprimento das regras para combater a covid-19.

"Por cada um que incumprir, maior é a responsabilidade dos outros cumprirem. Porque o cumprir regras é uma medida de proteção para nós próprios, para os nossos e para o nosso país. Não é o incumprimento que nos desculpa do cumprimento, antes pelo contrário", frisou.