Internacional

Itália identifica e investiga 12 membros de rede neonazi que planeavam ataque contra a NATO

Ataque seria feito com engenhos explosivos artesanais feitos “com instruções retiradas da internet”, em colaboração com alguns militantes de grupos estrangeiros semelhantes ativos em Portugal.


Os Carabineiros, polícia militarizada italiana, identificaram, esta segunda-feira, uma rede neonazi e está investigar 12 dos seus membros que faziam propaganda antissemita através da internet e planeavam um ataque contra as instalações da NATO.

No âmbito da operação, vários grupos do Facebook e da rede social russa VKontakte foram bloqueados, bem com um outro grupo na aplicação Whatsapp. A rede recorria aos grupos para partilhar mensagens, vídeos e imagens racistas, antissemitas e negacionistas, segundo apontam as autoridades italianas.

Os 12 membros identificados, homens e mulheres com idades entre os 26 e os 62 anos, terão de se apresentar diariamente às autoridades como medida de coação.

A investigação descobriu ainda “atividades de planeamento, ainda em fase embrionária” que pretendia levar a cabo um ataque contra as instalações da NATO com engenhos explosivos artesanais feitos “com instruções retiradas da internet”, em colaboração com alguns militantes de grupos estrangeiros semelhantes ativos em Portugal.