Sociedade

Miguel Albuquerque convidou Boris Johnson a passar lua-de-mel na Madeira

Primeiro-ministro britânico e Carrie Symonds casaram-se no passado dia 29 de maio.


Miguel Albuquerque convidou Boris Johnson, que casou recentemente, a passar a sua lua-de-mel na Madeira. O convite foi endereçado por carta.

“Na carta enviada ao governante, Miguel Albuquerque assegura a Johnson que a ilha da Madeira é um destino seguro e recorda que, apesar das dificuldades, desde o início da pandemia que é considerado mesmo o destino mais seguro da Europa”, revelou a Presidência do Governo Regional, em comunicado, esta segunda-feira.

O presidente do Governo Regional da Madeira aproveitou para relembrar que também a antiga governante britânica Margaret Thatcher passou a sua lua-de-mel na ilha, em 1951, e não esqueceu a pandemia, referindo que as medidas implementadas no arquipélago demonstraram “eficácia no controlo da crise pandémica”. Miguel Albuquerque frisa ainda a existência de “cuidadosas medidas de saúde”.

"Na carta, é lembrada a operação de triagem nos aeroportos da Madeira e do Porto Santo para controlar as chegadas com teste de PCR negativo para o SARS-Cov-2 já feito ou, para quem não o tiver, o possa fazer depois de aterrar", indica a mesma nota, que destaca também a criação da plataforma 'online' para viajantes ‘Madeira Safe’, bem como a certificação do destino Madeira com o ‘Madeira Safe to Discover Certificate’.

Além disso, o chefe do executivo madeirense sublinhou ainda a implementação do ‘Corredor Verde’ no arquipélago, no qual passam os passageiros vacinados contra a covid-19 ou que já tenham tido a doença.

“Outro ponto relevado na carta é que tem sido feito um trabalho intenso de testes na região e que tem sido implementada uma campanha intensa de vacinação, abrangendo já mais de 40% da população com, pelo menos, uma dose da vacina”, informa ainda.

A carta, que destaca também os laços históricos existentes entre o Reino Unido e a Madeira, foi enviada ao primeiro-ministro britânico um dia antes de Portugal deixar de fazer parte da lista verde do turismo inglês, incluindo a Madeira e os Açores.