Sociedade

Pai condenado a 15 anos de prisão por 452 crimes de abuso sexual e violação contra filhas

Abusos contra a filha mais velha começaram quando esta tinha 12 anos e duraram até aos 21 anos da jovem.


O Tribunal de Guimarães condenou, na segunda-feira, um homem de 45 anos de Cruz, Vila Nova de Famalicão, a 15 anos de prisão, por 452 crimes de abuso sexual e violação cometidos contra duas filhas.

O arguido foi condenado por 53 crimes de abuso sexual de crianças agravado, 208 crimes de abuso sexual de menores dependentes agravado e 191 crimes de violação agravada, segundo o acórdão, datado de 7 de junho, a que a agência Lusa teve acesso.

O pai ficou ainda obrigado a pagar uma indemnização às filhas, suas vítimas, no valor total de cerca de 80 mil euros.

A principal vítima foi a filha mais velha do arguido, tendo os abusos sexuais começado quando esta tinha 13 anos, altura em que lhe terá dito que a ia "preparar para o futuro", e continuaram até aos 21 anos, quando a jovem contou uma amiga o que se passava há anos, tendo de seguida avançado com uma denúncia na Associação Portuguesa de Apoio à Vítima (APAV).

Os abusos, cometidos com uma frequência quase semanal, eram perpetrados quase sempre na residência da família, mas também aconteceram num monte próximo da habitação.

O tribunal deu também como provado que o arguido abusou igualmente da filha mais nova, quando esta tinha 13 anos.