Internacional

EMA deverá dizer se aprova administração da vacina da Moderna em adolescentes no mês de julho

A entidade irá basear-se nos dados apresentados pela farmacêutica e por um estudo que está em curso na União Europeia. 


A Agência Europeia do Medicamento (EMA) deverá pronunciar-se sobre a administração da vacina contra a covid-19 da farmacêutica Moderna em jovens entre os 12 e os 17 no mês de julho.

"A EMA comunicará o resultado da sua avaliação, previsivelmente em julho, a menos que sejam necessárias informações suplementares", pode ler-se num comunicado da entidade.

De acordo com o comunicado, o Comité dos Medicamentos para Uso Humano vai “acelerar” a análise dos dados apresentados pela farmacêutica, ao incluir os resultados de um grande estudo clínico que está a decorrer, envolvendo adolescentes dos 12 aos 17 anos na União Europeia (UE).

O estudo está a ser realizado em conformidade com o plano de investigação pediátrica para a vacina Moderna, que foi autorizado pelo Comité Pediátrico da EMA.

O fármaco, que contém a molécula RNA mensageiro, já é inoculada a maiores de 18 anos na UE, nos Estados Unidos e no Canadá.

Caso seja aprovada, a vacina da Moderna será a segunda vacina aprovada para adolescentes na UE, após a autorização do fármaco da Pfizer, a 28 de maio.