Internacional

"Se o Parlamento aprovar, eu veto", diz Bolsonaro sobre certificado de vacinação contra a covid-19

O ‘Passaporte Nacional de Imunização e Segurança Sanitária’ irá permitir que pessoas vacinadas contra a covid-19 ou com um teste negativo possam circular livremente em espaços onde existam restrições de acesso devido à pandemia.


O Presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, afirmou, esta terça-feira, que irá vetar o projeto de lei sobre a criação de um certificado de imunização para o vírus SARS-CoV-2.

“Não acho que o Parlamento vá aprovar. Se aprovar, eu veto e então o Parlamento vai analisar o veto e, se derrubar, essa será a lei”, afirmou o chefe de Estado brasileiro a um grupo de apoiantes.

O ‘Passaporte Nacional de Imunização e Segurança Sanitária’ irá permitir que pessoas vacinadas contra a covid-19 ou com um teste negativo possam circular livremente em espaços onde existam restrições de acesso devido à pandemia. O documento já foi aprovado pelo Senado e está agora em análise na Câmara dos Deputados.  

Bolsonaro já criticou anteriormente a medida e defendeu que a vacinação não deve ser obrigatória no país.

"Sem comentários. Vacinação obrigatória no Brasil? Não tem lugar. Alguns falam que para viajar é preciso ter carteira de vacinação. Olha, cada país faz suas regras", disse o chefe de Estado brasileiro.

O Brasil é um dos países mais afetados do mundo pela pandemia de covid-19, com mais de 17,5 milhões de infeções e 490 mil vítimas mortais.