Vida

"Foi horrível! Estava miserável". Meryl Streep passou por tempos negros nas gravações de "Diabo Veste Prada"

A atriz de 71 anos revelou o processo de encarnar a pele de chefe Miranda Priestly.


Quinze anos depois do sucesso de “Diabo Veste Prada”, Meryl Streep revelou o envolvimento que teve com a personagem que desempenhou.

Numa entrevista exclusiva ao Entertainment Weekly, a atriz de 71 anos contou que encarnou de tal forma a pele da chefe Miranda Priestly, que acabou por ficar deprimida durante as gravações.

"Foi horrível! Estava miserável", afirmou Meryl Streep, acrescentando que quando estava sozinha no camarim “conseguia ouvi-los [aos outros atores e à restante equipa] a brincarem e a rirem”. “Estava tão deprimida. Eu disse, 'Bem, é o preço que pagas por seres chefe", sublinhou.

Para entrar em personagem, a atriz usou o Método, uma técnica de representação em que o ator não pode desmanchar a personagem durante 24 horas, mesmo quando está sem gravar.

"Foi a última vez que experimentei o Método", avisou Streep.

O esforço foi compensado. Não só o filme foi um autêntico sucesso, como é um clássico, a artista também venceu um Óscar em 2006 com este papel.