Internacional

Quatro portugueses morreram no desabamento de uma escola em Antuérpia

As autoridades belgas confirmaram, este domingo, o número de mortos ocorridos no acidente de sexta-feira. 


As autoridades belgas confirmaram, este domingo, a morte de cinco pessoas, entre as quais quatro portugueses, no desabamento de uma escola que estava em obras, na Antuérpia, na passada sexta-feira.

O presidente da autarquia local, Bart De Wever, veio a público retificar a informação dada este sábado, que dava conta da morte de três portugueses. Porém, segundo os novos dados, o acidente em Jos Smolderenstraat, na Nieuw Zuid, provocou a morte de quatro portugueses e um moldavo.

Na sexta-feira, foram resgatados dois corpos e os restantes três durante sábado, numa operação que envolveu peritos em construção e equipas cinotécnicas.

Numa visita ao local do desabamento, o autarca considerou o acidente “uma catástrofe terrível”, ao indicar que aquilo aconteceu numa escolas que estava quase terminada, indo abrir já em setembro.

"Uma das viúvas tinha acabado de casar, perdeu um filho em fevereiro e agora o marido. São duros golpes", disse o autarca, ao referir que já disponibilizou toda a ajuda necessária às famílias das vítimas.

"Algo correu mal na construção, não sabemos o quê, mas será investigado", sublinhou Bart de Wever aos jornalistas.

Três dos nove feridos – quatro romenos, dois ucranianos, um português e dois de nacionalidade desconhecida – estão agora em Unidades de Cuidados Intensivos, mas estáveis. Apenas um teve alta hospitalar.