Sociedade

UCI voltam a ter mais de 100 internados. Lisboa e Vale do Tejo permanece com mais de metade dos novos casos

Portugal continua com mais de 400 internados pelo terceiro dia consecutivo. Todas as mortes ocorridas nas últimas 24 horas ocorreram em Lisboa e Vale do Tejo. No entanto, o país tem menos 279 casos ativos, graças às 1.293 pessoas que recuperaram do vírus.


O vírus SARS-coV-2 contagiou mais 1.020 pessoas e provocou a morte de seis nas últimas 24 horas. Segundo o mais recente boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS), divulgado esta terça-feira, Portugal já conta com 866.826 casos confirmados e 17.074 óbitos desde março de 2020.

Pelo terceiro dia consecutivo, Portugal tem mais de 400 internados nos hospitais devido à covid-19. São agora 450 os infetados a necessitar de apoio médico, mais sete pessoas em relação a segunda-feira.

O número de doentes nas Unidades de Cuidados Intensivos (UCI) também aumentou, ultrapassando o marco dos cem, são agora 101, mais quatro do que ontem. É necessário recuar até dia 22 de abril para verificar um número maior do que o revelado no boletim de hoje, quando se registaram 104 internados nas UCI.

Sem vista para retroceder, Lisboa e Vale do Tejo continua ser a região com maior número de casos diários, com 648 infeções registadas, o que corresponde a 64% do total de casos.

Segue-se o Norte, com 121 novos contágios, o Centro, que ultrapassou a marca dos cem, ao registar 101, o Algarve com 70 e o Alentejo com 32 novas infeções.

Quanto aos arquipélagos dos Açores e da Madeira, foram reportados 44 e quatro novos casos, respetivamente.

Todas as mortes contabilizadas nas últimas 24 horas ocorreram em Lisboa e Vale do Tejo.

Por outro lado, Portugal tem menos 279 casos ativos, e há agora 28.378 pessoas infetadas com covid-19.

Segundo o boletim da DGS, mais 1.293 pessoas recuperaram da doença, elevando o total de recuperados para 821.374. De realçar que a barreira dos 821 mil recuperados foi ultrapassada em 24 horas.

As autoridades de saúde têm, neste momento, 41.659 contactos sob vigilância, mais 1.140 do que ontem.

Já os dados da matriz de risco permanecem iguais, uma vez que foram atualizados esta segunda-feira.

A incidência a nível nacional é de 119,3 casos de infeção por 100 mil habitantes. Este parâmetro piora quando considerado apenas o território continental, com uma incidência de 120,1 casos por 100 mil habitantes - ligeiramente acima do limiar de 120 mil casos por 100 mil habitantes, na média a 14 dias - o que indica que Portugal continental está na zona vermelha da matriz de risco.

Já o índice de transmissibilidade (Rt) nacional é agora de 1,18, enquanto no continente é de 1,19.

Consulte aqui o boletim epidemiológico da DGS de 22 de junho