Sociedade

Movimento Zero. "As instituições cumprirão as suas funções", diz Cabrita sobre apuramento de responsabilidades

Centenas de elementos da PSP e da GNR protestaram, na segunda-feira, durante cerca de 11 horas, numa manifestação que começou junto à Assembleia da República e se alastrou para as principais vias de Lisboa.


O ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, afirmou, esta terça-feira, que irão ser apuradas responsabilidades em relação ao comportamento de elementos das forças de segurança na manifestação do Movimento Zero.

“Estou certo que, quer no plano disciplinar, quer no plano do apuramento de responsabilidades de outro tipo, as instituições cumprirão as suas funções”, afirmou o ministro, em conferência de imprensa.

De recordar que centenas de elementos da Polícia de Segurança Pública (PSP) e da GNR (Guarda Nacional Republicana) protestaram, na segunda-feira, durante cerca de 11 horas, numa manifestação que começou junto à Assembleia da República e se alastrou para as principais vias de Lisboa. Um desfile da manifestação, num percurso não autorizado, chegou a interromper o trânsito no centro da cidade.

Após o desfile, os manifestantes – que exigiam a atribuição do subsídio de risco e a atualização salarial – voltaram para a Assembleia da República, onde vários utilizaram peças do fardamento das forças de seguranças, algo que é considerado uso indevido da farda. Ouviram-se ainda algumas frases de incentivo à violência e à demissão do ministro da Administração Interna, que foi também vítima de vários insultos.

O Comando Metropolitano de Lisboa anunciou à agência Lusa que irá apresentar uma participação ao Ministério Público, uma vez que a manifestação estava apenas autorizada para ser realizada junto do parlamento.