Sociedade

Audiências. PGR recebe denúncia e investiga alegada manipulação

SIC e Impresa – que serão as principais visadas – dizem não ter sido contactadas pelas autoridades a fazem fortes críticas à TVI, que respondeu.


As dúvidas em relação às audiências televisivas continuam a dar que falar. Desta vez, a Procuradoria-Geral da República (PGR) que confirma ter recebido uma denúncia sobre a alegada adulteração de audiências televisivas – favorecendo a SIC – que foi remetida ao Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) e que deu depois origem a um inquérito.

A notícia, avançada pelo Tal & Qual, foi confirmada ao i pela PGR que explica “o mesmo encontra-se em investigação”. No entanto, a PGR não fala em nenhum canal em específico.

A notícia não caiu bem junto da estação de Carnaxide que acabou por reagir garantindo que tanto a SIC como o grupo Impresa “não estão a par de qualquer investigação nem foram contactados pelas autoridades sobre este assunto”.

E acrescenta: “É absolutamente falsa, de má-fé e lesiva a acusação que o Tal & Qual e a TVI tentam fazer passar de concertação entre SIC e a empresa que mede as audiências para a CAEM, a GfK”.

A empresa de Francisco Pinto Balsemão avança ainda, na mesma nota, que “tal como o resto do mercado, representado pela CAEM (que agrega anunciantes, agências e meios de comunicação social), exceto, aparentemente, a TVI, confiam no sistema de medição de audiências em vigor, algo que acontecia mesmo durante os anos em que a SIC não foi líder de audiências”.

As acusações da estação de Carnaxide não foram bem vistas pela TVI que respondeu, garantindo que apenas se limitou a noticiar a história avançada pelo Tal & Qual. “A TVI não quer contribuir para transformar este tema numa fonte de atrito entre canais televisivos, criando um ruído artificial para desviar as atenções do que é realmente importante”, começa por dizer a estação.

“O que está em causa é o apuramento da verdade e a assunção de eventuais responsabilidades, caso essas existam, manifestando o Grupo Media Capital e a TVI total disponibilidade para colaborar com as autoridades numa investigação séria, rigorosa e serena”.

A estação diz acreditar que todos os principais players do setor do audiovisual e do meio televisivo nacional “estão interessados na melhoria do sistema e dos mecanismos de regulação e medição das audiências em prol da transparência no setor” .

Recorde-se que, tal como avançou o Nascer do Sol, esta dúvida em relação às audiências não é nova e a TVI pediu uma auditoria para tentar perceber se os números apresentados serão mesmo fidedignos. Em causa estão os números apresentados relativamente às audiências que colocam a TVI em segundo lugar.

Ao que o Nascer do SOL apurou, a TVI “considera de enorme gravidade para o mercado a existência de indicadores inexplicáveis com mudanças abruptas de resultados e com informação inconsistente e desajustada”. Isto significa que, a estação de Queluz pretende ver esclarecidas as fundadas dúvidas e suspeitas que tem sobre “graves lacunas” relativamente a procedimentos e práticas que têm sido prosseguidos no quadro da operalização do regime que suporta a medição de audiências dos canais RTP, SIC, TVI e dos restantes canais de cabo.