Brasil Presente

O mundo da fantasia

As vacinas continuam chegando, mas a conta gotas, e o país, neste momento, tem em torno de 13% de vacinados com as duas doses. 


Por Aristóteles Drummond

A pressão inflacionária, a pandemia com média de dois mil mortos por dia e a crise social com 14 milhões de desempregados não influem no comportamento dos políticos brasileiros. Na oposição, como no governo, o mundo deles é outro. O Presidente agora se dedica a programar motociatas, que é um desfile com motociclistas como ele.

Depois do Rio, São Paulo e Brasília, agora será a vez de Chapecó, em Santa Catarina, onde o presidente da Câmara é seu partidário. E o Senado encurralando o Presidente na questão da pandemia, quando já é ponto pacífico que houve negligência de parte dele e corrupção nos estados. Mas os interrogatórios na televisão deslumbram os senadores de oposição. O curioso é que o Governo tem maioria no Senado, mas não percebeu que a composição da CPI foi com maioria de oposicionistas.

As vacinas continuam chegando, mas a conta gotas, e o país, neste momento, tem em torno de 13% de vacinados com as duas doses. Espera chegar aos 20% nos próximos 30 dias. O Presidente finalmente se empenha pessoalmente no sentido de antecipar vacinas compradas. Quando tem vacina, o Brasil aplica dois milhões de doses em um dia.

Na disputa pela candidatura da terceira via o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, anunciou que vai disputar as prévias do partido com o governador João Doria, de São Paulo. Apesar da força de São Paulo, maior colégio eleitoral, o governador tem hoje rejeição de 60% no estado. Ciro Gomes, pelo partido fundado por Brizola, tenta sua terceira candidatura. Mas os empresários começam a considerar que o governador de Minas, Romeu Zema – um empresário liberal que estreou na política se elegendo governador do segundo estado do Brasil, que não briga com ninguém e se dedica a administrar a crise em sua área –, pode ser uma solução.
 
VARIEDADES

• A China representa 40% das vendas do agronegócio brasileiro. E é o maior fornecer do IFA – insumo farmacêutico ativo – para a fabricação de vacinas. E com o presidente falando mal do parceiro.

• O jornal O Globo, investindo na venda da imagem de um ‘jornal nacional’, sendo impresso também fora do Rio para enfrentar os paulistas Folha e Estadão, há muito com significativa presença nacional. No Rio, o único jornal fora do Grupo Globo é O Dia, que tem como principal referência o luso-brasileiro Nuno Vasconcellos.

• Uma das mais antigas instituições católicas do Rio, a Ordem Terceira da Penitência, é alvo de denúncia pela venda de mais de 40 imóveis, dos quais teria a posse, mas não a propriedade. O comprador foi o Banco Opportunity, do banqueiro Daniel Dantas. O hospital da instituição foi visitado pelo Papa Francisco em sua visita ao Rio de Janeiro.

• As siderúrgicas trabalham a todo vapor. O mercado interno reage . No sul, a procura por malte de cevada cresce com a demanda por cerveja. O Uruguai e Argentina já com fábricas da brasileira AMBEV.

• Maria Bethânia completa 75 anos e anuncia álbum de musicas inéditas. E crescem os rumores de que a campeã de audiência nas manhãs da Globo, Ana Maria Braga, iria se retirar e o lugar ser ocupado por Rita Lobo, elegante apresentadora de um programa de culinária.

• Paixão política chega a ser irracional. Com mais de setenta mil novos infetados por dia, a mídia de oposição noticia que a Copa América já registrou entre seus integrantes 71 casos. Todos os jogos continuam a ser disputados no país, mas a vigilância é apenas na Copa América, pois a mesma foi autorizada pelo Presidente Bolsonaro.

• O futuro presidente da Associação Comercial do Rio de Janeiro será o empresário José Antonio Nascimento Brito, que foi controlador do Jornal do Brasil e hoje é o proprietário da Rádio JB, uma das líderes na cidade.

• Muitas cidades com mais de um milhão de habilitantes sem a segunda dose, provocando atraso na vacinação.

Rio de Janeiro, junho de 2021