Sociedade

Ferro Rodrigues troca calor de Sevilha por praia da Altura

Polémica obrigou presidente da AR a mudar de planos. Ainda assim, não se manteve muito longe.


Eduardo Ferro Rodrigues não foi para Sevilha apoiar a Seleção Nacional, ao contrário do que estava inicialmente planeado, mas também não ficou em Lisboa durante o fim de semana. O presidente da Assembleia da República rumou por estes dias à praia da Altura, no sotavento algarvio, a uns meros 15 km da fronteira espanhola. Para pernoitar, Ferro escolheu o Eurotel, onde, curiosamente, segundo o i conseguiu apurar, também estavam instalados a diretora-geral da Saúde, Graça Freitas, e o jornalista da RTP_João Adelino Faria.

A visita ao sul do país surge após o polémico apelo do presidente da Assembleia na quinta-feira passada, em que instigou os portugueses a deslocar-se de “forma massiva a Sevilha” para apoiar a Seleção Nacional.

O pedido – que se repetiu nos dias seguintes, quando o gabinete do responsável emitiu uma nota a dizer que Ferro não gostara “em Budapeste, de ver 80% dos presentes contra a nossa seleção”  – gerou polémica, devido à crescente preocupação em torno da situação epidemiológica no país. Foi, aliás, o aumento de contágios que levou o Governo a limitar as saídas e entradas na área metropolitana de Lisboa, permitidas apenas àqueles que estivessem vacinados ou apresentassem teste negativo à covid-19. Também em Sevilha, onde decorreu a partida, a situação pandémica gerava preocupação.

Ferro Rodrigues – que é aficionado de futebol (a sua paixão pelo Sporting é pública) – tinha viagem agendada para a capital da Andaluzia para assistir à partida entre Portugal e a Bélgica, relativa aos oitavos-de-final do Campeonato da Europa, na companhia de Marcelo Rebelo de Sousa.

Mas a reação do Presidente da República à controvérsia levou-o a mudar de ideias. “Eu próprio, que tinha dito ontem que gostava muito de ir, pensei para comigo mesmo que eu só vou se o morador em Lisboa comum puder ir. Se não puder ir, não vou”, informou Marcelo na quarta-feira.

Assim, também Ferro se viu forçado a abandonar os planos de visitar Sevilha, deixando a representação portuguesa a cargo do ministro da Educação, que tem a tutela do Desporto. Mas não se manteve muito longe, tendo optado pela localidade algarvia, apesar dos pedidos de contenção e de limitação à mobilidade impostos sobre a região de Lisboa e Vale do Tejo. Só no caso da passagem de Portugal aos quartos-de-final é que Ferro Rodrigues representará o Governo num jogo oficial de Portugal no Europeu, ao passo que, se a seleção das quinas conquistar um lugar nas meias-finais da competição, será Marcelo Rebelo de Sousa a marcar presença no estádio.