Internacional

Encontrados documentos classificados em paragem de autocarro

Documentos abordavam recente episódio de tensão entre Rússia e RU e a possibilidade de manter uma presença militar no Afeganistão.


Os ingleses são muito conhecidos pelo seu estilo particular de humor e possuem vários génios nesta arte. Mas, por vezes, a realidade consegue superar até as mentes mais criativas.

Foram encontrados esquecidos numa paragem de autocarro em Inglaterra documentos classificados do Ministério da Defesa britânico, onde se abordava uma possível reação russa à passagem de um contratorpedeiro britânico ao largo da Crimeia e uma eventual presença no Afeganistão, revelou hoje a BBC.

Esta história surreal parece ter sido criada por Terry Jones para um sketch dos Monty Python, mas foi um cidadão anónimo que encontrou os documentos, cerca de 50 páginas de material sensível, incluindo e-mails e apresentações em PowerPoint, em Kent, no sudeste de Inglaterra, e contactou a BBC para partilhar a sua descoberta.

O Ministério da Defesa reagiu à notícia e um porta-voz informou que um dos seus trabalhadores já tinha reportado a perda de documentos.

Nestes documentos eram relatados pormenores sobre a passagem do contratorpedeiro britânico HMS Defender pelas águas ao largo da península da Crimeia que, esta semana, criou tensões entre Londres e Moscovo.

A marinha russa diz ter disparado tiros de aviso após o navio britânico não ter reagido às chamadas para se retirar, uma versão desmentida pelos britânicos, que alegam que o seu navio estava a realizar “uma passagem inocente” em território ucraniano, “em conformidade com o direito internacional” e que não ouviu tiros.

Os documentos sugerem que Londres já contava com uma resposta agressiva da Rússia à incursão do destruidor. A operação, denominada “Op Ditroite”, foi abordada segunda-feira por oficiais superiores da Defesa, que esperavam uma “festa de boas-vindas” das forças russas.

Os documentos encontrados na paragem de autocarro também abordam planos militares no Afeganistão, alguns dos quais a BBC reteve para proteger a segurança do pessoal britânico naquele país, e analisam a possibilidade de manter uma presença militar britânica no Afeganistão, uma vez terminada a missão da NATO liderada pelos EUA.