Sociedade

GNR recusou entrada ou saída de 1.095 pessoas da Área Metropolitana de Lisboa

Esta força de segurança registou 68 contraordenações por incumprimento à legislação em vigor. 


A Guarda Nacional Republicana (GNR) registou 68 contraordenações e recusou a entrada ou saída de 1.095 pessoas da Área Metropolitana de Lisboa (AML) entre as 16h de sexta-feira e as 06h desta segunda-feira.

Durante este período, esta força de segurança realizou 140 operações na AML, ao fiscalizar mais de 14 mil veículos, indicou o capitão João Gaspar, das Relações Públicas da GNR, à agência Lusa.

Os militares da GNR detetaram 1.095 pessoas que queriam entrar ou sair da AML, tendo pedido a estas que ainda não estavam em incumprimento regressar ao domicílio, disse João Gaspar.

Já as 68 contraordenações foram registadas por incumprimento à legislação em vigor na sequência da covid-19, uma vez que estas pessoas entraram na AML sem as exceções previstas na lei.

Segundo o capitão da GNR, esta força de segurança detetou um maior número de recusas de entradas e saídas da AML este fim de semana do que no anterior, o primeiro em que foram aplicadas as restrições nesta zona.

Note-se que para entrar e sair da AML no passado fim de semana foi necessário mostrar o certificado digital ou ter um teste negativo à covid-19. O certificado digital não estava incluído no anterior fim de semana, primeiro com estas restrições.