Economia

Banca europeia tem 25% das receitas preparadas para recuperar da crise

"O sistema bancário está muito bem posicionado para desempenhar um papel fundamental na recuperação económica da Europa", diz consultora.


A banca europeia tem 25% do valor das suas receitas preparado para a recuperação da crise da covid-19, graças à retenção de dividendos e baixas provisões. A conclusão é do relatório da Oliver Wyman.

Segundo o documento, "o sistema bancário está muito bem posicionado para desempenhar um papel fundamental na recuperação económica da Europa, com rácios de capital robustos, muito graças a provisões abaixo do esperado e ao congelamento de dividendos", acrescentando que há cerca de 160 mil milhões de euros em causa para fomentar a recuperação da crise causada pela pandemia, um valor que representa cerca de 25% das receitas do setor.

A Oliver Wyman salienta ainda que em 2020, a banca tinha previsto perdas de crédito na ordem dos 200 mil milhões de euros, mas o valor final acabou por se cifrar nos 110 mil milhões, "ainda assim mais do dobro do que sucedera em 2019".

"Os impactos da Covid-19 influenciaram as receitas dos bancos, em especial, nos países onde medidas mais rigorosas de combate à doença foram adotadas e onde o confinamento foi mais restrito", refere a consultora, apontando para um valor de -8,1% no conjunto de Portugal, Espanha, Itália, Irlanda e Reino Unido.

Espanha e Portugal estão também "particularmente atingidos" no conjunto de países analisados no que ao turismo diz respeito, já que "nos países onde os bancos são impactados pelas oscilações dos setores do turismo e do entretenimento" houve 60% de quebras de receita.