Economia

Testes nos restaurantes é medida que "deve ser muito bem ponderada", diz Pro.var

Associação Nacional de Restaurantes diz que os espaços de restauração já contam com “demasiadas regras e restrições”. Se a medida for para a frente, “deverá ser progressiva e acompanhada por uma mudança da matriz de risco”.


A Associação Nacional de Restaurantes, a Pro.var, defende que a medida de introdução de testes nos estabelecimentos de restauração “deve ser muito bem ponderada”, acrescentando que “já existem demasiadas regras e restrições e esta pode destruir a réstia de esperança para muitos empresários já dão como perdido parte do verão”.

Para a associação liderada por Daniel Serra, “teme-se que a medida possa ser mais um entrave e afastar muitos portugueses dos restaurantes”.

No entanto, caso o Governo decida avançar com esta solução, “a medida deverá ser progressiva e acompanhada por uma mudança da matriz de risco”.

Em comunicado, Daniel Serra lembra as afirmações da Ministra da Saúde, Marta Temido, que garantiu que “os restaurantes não são locais de risco de contágio” e ainda do primeiro-ministro, António Costa ao pedir para que sejam evitados “os comportamentos irresponsáveis de festas clandestinas ou não clandestinas que se desenvolvem sem segurança e que estão a ser os principais polos de difusão desta nova vaga da pandemia.

Face a estas declarações do Governo, a Pro.var diz entender que “é chegado o momento do Governo assumir que os critérios que definem a matriz de risco e consequentemente as regras de confinamento devem ser alterados, de modo a garantir que a testagem obrigatória seja apenas exigida nas regiões onde existe maior pressão de internamentos, permitindo assim que o setor salve parte do verão e os portugueses possam estar em locais seguros e controlados para as suas festas”.

A associação diz ainda que o Governo deve “desde já estabelecer regras para uma segunda fase e logo que esteja garantida a vacinação e emissão do certificado digital, à maioria dos portugueses, possam ser permitidas a criação de zonas COVID FREE, nos estabelecimentos de restauração, onde sejam totalmente eliminadas as restrições nos estabelecimentos de restauração, tais como, afastamento, máscara e horários”.