Internacional

Península Ibérica. Onda de calor após o desastre no Canadá

Com as alterações climáticas, prevê-se um aumento das mortes por calor no Mediterrâneo.


A meteorologia está uma loucura por todo o lado, com um verão no hemisfério norte marcado por ondas calor bizarras, consideradas sintomas das alterações climáticas. Este fim de semana, será a vez da Península Ibérica enfrentar o problema, prevendo-se uma temperatura média de 35.ºC em Portugal continental, chegando aos 40.ºC no Alentejo, enquanto a Catalunha deverá bater recordes, com alguns pontos da comunidade autonómica a superar os 40.ºC, e temendo-se que o vale do Guadalquivir, na Andaluzia, sofra com uns tórridos 47.ºC, segundo o Windy.

O problema é que este ano a “besta africana” - como são popularmente conhecidas em Espanha as típicas ondas de calor extremas, quando incluem massas de ar quente vindas do vizinho Norte de África, durante o verão - será entre cinco a dez graus superior ao habitual, notou o El Periodico.

Após assistirmos à morte de pelo menos 500 pessoas numa onda de calor no Canadá, um país mais conhecido pelo frio, extensões de neve ou desportos como o curling e hóquei no gelo, onde se chegou aos 50.ºC em algumas localidades, naturalmente os receios estão em alta. Talvez por isso as autoridades de Barcelona já tenham feito milhares de chamadas a cidadão idosos, avançou a Europa Press, com recomendações para enfrentar o calor - como evitar sair à rua entre as 12 e as 17h, beber muita água, mesmo sem sede, baixar as persianas e ventilar a casa durante a noite. 

São preocupações que se poderão tornar cada vez mais prementes. Por agora, as mortes devido à temperatura, tanto elevadas como baixas, representam mais de 7% do total de óbitos na Europa, sendo o frio responsável por dez vezes mais mortes que o calor - mas a tendência deverá inverter-se, devido às alterações climáticas, sobretudo em redor do Mediterrâneo, alertou um estudo publicado na Lancet Planetary Health, 

Entretanto, os andaluzes terão de suportar os dias e noites sufocantes deste fim de semana, algo que se agravará no domingo, com a chegada de ventos africanos, trazendo consigo poeira do Saara, que poderá afetar a metade sul e parte do leste da Península Ibérica, segundo a Agência Estatal de Meteorologia (Aemet) espanhola. Na segunda-feira é esperada uma descida súbita da temperatura - depois, é esperar a próxima onda de calor, que não deverá tardar.