Internacional

Pfizer pede aprovação para inocular terceira dose da vacina contra a covid-19

Segundo os primeiros estudos da farmacêutica, os níveis de anticorpos das pessoas aumentam de cinco para 10 vezes mais quando recebem uma terceira dose, comparativamente com a segunda.


A Pfizer quer verificar se poderá inocular uma terceira dose da vacina da covid-19, estando à espera da luz verde dos reguladores dos Estados Unidos, confirmou a empresa, esta quinta-feira. Outra administração da vacina em 12 meses poderia aumentar a imunidade, apontou a Pfizer.

"Em agosto, a Pfizer planeia pedir à Food and Drug Administration [entidade responsável pela aprovação de medicamentos] uma autorização de emergência para uma terceira dose", certificou o cientista Mikael Dolsten, da farmacêutica Pfizer, à agência norte-americana AP.

Segundo os primeiros estudos da farmacêutica, os níveis de anticorpos das pessoas aumentam de cinco para 10 vezes mais quando recebem uma terceira dose, comparativamente com a segunda.

Investigações de diversos países já indicaram que as vacinas usadas contra a covid-19 são fortes protetoras contra a variante delta, considera altamente contagiosa e veloz na sua disseminação.

"Porque a terceira dose é importante para combater a variante delta?", questionou Mikael Dolsten, ao explicar que "quando os anticorpos cedem, a variante delta pode eventualmente provocar uma leve infeção antes que o sistema imunológico se manifeste".

Segundo um especialista em vacinação do Centro Médico da Universidade da Vanderbilt, no estado do Tennessee, William Schaffner, a autorização da Food and Drug Administration (FDA) será o primeiro grande passo em relação a esta questão, que não significa que os norte-americanos recebam imediatamente esta eventual terceira dose.

Note-se que os Estados Unidos têm quase metade da população com as duas doses da vacina, porém em algumas zonas do país, a taxa de imunização continua muito baixa, locais onde a variante delta está a ganhar um certo peso.